Levantas-te, nua, de cabelos desalinhados

Etreinte

Esta aguarela de Pablo Picasso andou meio perdida em escusos quartos londrinos. Vai para dez anos, foi reencontrada e acabou leiloada por 101 mil euros.

Intitulada “Étreinte”, a pintura figura e celebra a entrega de dois amantes, o próprio pintor e Louise Lenoir, a quem Picasso chamava Odette. Foram amantes nos primeiros anos do século XX, período de que data a aguarela. Diz-se que terá sido a sua primeira amante francesa e que, nesse tempo, o pintor andava ainda à procura de “um estilo”.

Olha-se para este abraço e percebe-se nele uma beleza serena, sem ameaça. Uma noite enorme e dois seres que não se incomodam com o que os espera, lá longe. Daqui a pouco ela vai levantar-se, nua, cabelos desalinhados a cair pelos ombros, e ele há-de ficar a olhar, desinteressado, para a frágil beleza dela, um miraculoso cigarro a rolar-lhe nos dedos.

PIcasso

Picasso encontrou um estilo (ou estilos), mas nunca deixou de voltar com outros “Étreintes” ao seu primeiro “Étreinte”.

Pabli