O sono de Descartes

sommeil-gustave-courbet
Le Sommeil, Gustave Courbet

Nas “Meditações de Filosofia Primeira”, porventura a sua obra-prima (ou será “As Paixões da Alma”?), Descartes afirma: “Esteja eu acordado ou a dormir dois e três dá sempre cinco e o quadrado nunca tem mais de quatro lados.”

Sono sólido: Descartes nunca teve insónias.

ib e o seu marido, Lucien Freud
Ib e o seu marido, Lucien Freud

6 thoughts on “O sono de Descartes”

  1. Apesar do que escreveu (ele, Déscartes), ou sobretudo por isso, contrario, o filósofo dormia muito mal, os papos sob os olhos, como o algodão, não enganam. E aquele ar infeliz pensa que é de quê senão da insónia permanente.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.