A mão raivosa

sri lanka

Bica Curta servida no Cm, 3ª feira, dia 23 de Abril

As bombas mataram no Sri Lanka: assassinaram 300 seres humanos num domingo, quando celebravam a ressurreição e a vida. Mataram-nos por serem cristãos. Tal como, na Nova Zelândia, outros foram trucidados por serem muçulmanos. Ou judeus são atacados.

A mão que segura as bombas é sempre a mesma, a mão da intolerância, a mão em fúria, irracional, que estremece de raiva mal sente a presença do outro, do que veste, come, reza, bebe até a bica de maneira diferente. Em tributo aos mártires, a luta continua: pela tolerância. O mundo tem de ser um bazar: de raças, religiões e costumes, de direita e de esquerda. A vitória é certa.

O supremacista

christchurch-

Bica Curta servida no CM, dia 20 de Março

Um supremacista branco assassinou 50 muçulmanos que rezavam, na mesquita, ao seu Deus. O que é um supremacista branco? Que raiva lhe bombeia o sangue e o arrasta para o crime cobarde? Vejo nele o mesmo fervor tribal, identitário, que anima o neofascismo, o radicalismo ideológico, religioso, étnico, de género.

Todos são ferozes defensores da tribo: um retrocesso civilizacional. Lembro o que o capitão do mato, poeta Vinicius de Moraes, disse orgulhosamente que era: o branco mais preto do Brasil. Dedico-lhe esta bica. Eu também sou branco, preto, judeu, muçulmano. Supremacista branco é a besta que se reduz à merda de uma tribo.