Mudou a Página Negra

PNL_Promo_Site

Correndo o risco de desiludir alguns dos seguidores desta página, quero dizer-vos que a Página Negra vai sofrer uma considerável mudança. Deixarei de publicar aqui as crónicas de que sou autor na imprensa portuguesa e deixarei de escrever aqui os textos mais pessoais, e de estados de alma, com que por vezes vinha atormentar a vossa paciência, fosse a propósito de uma finta, chulipa ou um golo de bandeira, fosse a propósito de uma curta saia numa tarde de Verão, ou de um soluço sufocado no escuro de um cinema.

Sou, como sabem, editor da Guerra e Paz, e tenho algum orgulho no trabalho feito nos últimos anos. Mais ainda no trabalho que fizemos (somos uma equipa, sim!) nestes sete meses de 2020. Quero concentrar-me nesse trabalho. E quero escrever, como o fiz no no estudo que precede o erótico Bordel das Musas, nas introduções ao Manifesto Comunista, Mein Kampf e Pequeno Livro Vermelho, ou nos recentíssimos textos que antecedem a Apologia de Sócrates, de Platão, e Na Farmácia do Evaristo, de Fernando Pessoa.

Vou deixar de escrever aqui, para escrever mais. Mais a sério, tentando não me levar demasiado a sério. Mas, por querer manter viva a Página Negra – ninguém tem o direito de apagar ou ignorar uma página negra! – darei aqui muito mais notícias das publicações da Guerra e Paz e dos textos, meus ou de outros autores. Vão ver que v ai valer a pena.

Para começar, deixo-vos – lá bem em cima – a imagem dos oito livros recentemente publicado pela Guerra e Paz a que o Plano Nacional de Leitura acaba de dar o seu selo. Na Guerra e Paz já são 65 os títulos aprovados pelo PNL. Entre eles, e ao lado da Correspondência de Jorge de Sena e João Sarmento Pimentel, ao lado do maravilhoso livro de Fernando Venâncio, Assim Nasceu uma Língua, está a Apologia de Sócrates, o meu pequenino Platão, que traduzi e prefaciei. É o meu último estado de alma nesta Página Negra. A partir de agora, aqui trabalha-se para defender livros e autores, pluralismo e debate.

10 thoughts on “Mudou a Página Negra”

  1. Manuel, que esse escrever ‘mais a sério’ não faça desaparecer a sua essência. Escreveu e publicou nesta ‘Página Negra’ belíssimas crónicas, com um especial toque de originalidade, oscilando, diria, entre pinceladas de Salvador Dalí e excertos de Tarantino… Sucesso, sempre! Continuaremos a cruzar-nos por aqui e noutras latitudes onde o livro é rei.

    Liked by 1 person

  2. Já estava com saudades!

    “A partir de agora, aqui trabalha-se para defender livros e autores, pluralismo e debate.”
    A partir de agora? Desde que comecei a visitar esta casa que é assim que tenho sido recebido. 😉

    E se puder ir partilhando uns excertos mais sérios, a minha curiosidade agradece!

    Like

  3. Não devia dizer isto, uma vez que é de sua inteira e livre vontade (e por um excelente motivo), mas fico triste com a notícia. Faz nos falta, é isso 🙂

    Like

  4. O que tem de ser tem muita força e se considera que não vamos sair perdendo; venha de lá a mudança.
    Boa sorte nesse novo ‘escrever mais’. 🙂

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.