Vasco Pulido Valente

Vasco

Conheci mal ou coisa nenhuma Vasco Pulido Valente. E conheci-o muito bem por tê-lo conhecido e só pelos olhos de João Bénard da Costa. Lembro aos milhares de rapazes e raparigas que descobriram a História do Cinema na Cinemateca Portuguesa, que a Cinemateca, como a conhecemos, autónoma, com salas e programação próprias, foi uma criação de Vasco Pulido Valente , quando foi Secretário de Estado da Cultura do governo de direita ou centro-direita da AD.

Vasco Pulido Valente, então, no final da década de 70, criou a Cinemateca Portuguesa conciliando a tradição e a inovação. Manteve Manuel Félix Ribeiro, cuja carolice e obstinação tinham permitido criar e conservar o Arquivo de Filmes (com milhares de títulos) e rasgou horizontes nomeando João Bénard da Costa para a programação, no que seria a mais exaltante e bem conseguida divulgação e fruição de obras de arte por novas gerações que Portugal viveu em décadas.

Sou parte interessada – integrei essa aventura ao lado de João Bénard – e tenho orgulho nessa ideia de que a divulgação das artes é (ou devia ser) acima de tudo um estado de emoção e erotização, como durante vinte e picos anos o foi com Bénard, e só por isso, por termos tido um governante que nisso acreditou, já Vasco Pulido Valente mereceria a vénia e o sentido apreço das milhares de pessoas que riram, choraram, se exaltaram e meteram o dedinho no sublime nas sessões da Cinemateca.

Mas sucede que Vasco Pulido Valente a tudo isso acrescenta um gosto de análise e de escrita que pisa na transgressão e salta para os braços da iconoclastia, num atropelo dos nossos brandos costumes que, até ver, já leva décadas de irrepetível na Imprensa portuguesa.

Vasco Pulido Valente foi o nosso melhor cronista das últimas décadas. Uma frase escrita por Vasco Pulido Valente vale – valia – longas e bem ou mal intencionadas prosas dos inteligentes … e já me perdi e só queria dizer que muitíssimo mais valia um artigo de Vasco Pulido Valente, mesmo que ele não tivesse razão nenhuma, do que o certíssimo artigo ou crónica do mais pintado. Cirúrgico, implacável, chocante, insurrecional, desconcertante: quem é que, podendo tomar drogas destas, quer saber do sossego virtuoso do confessionário.

Eis uma das maiores falhas da minha vida: convidei Vasco Pulido Valente e João Bénard para um jantar no Gambrinus. Queria que eles escrevessem juntos um livro para a Guerra e Paz editores. Locupletámo-nos, regámos a vinhos do Douro, a cigarros e a whiskies um jantar pantagruélico. O João exaltava-se com a ideia e esbarrava no muro de betão que era o cepticismo do Vasco. Até que eu ousei e levantei a voz e expliquei as minhas sublimes razões e o Vasco aceitou. Foi o meu centésimo de segundo de glória. Na manhã seguinte, uma colega editora telefonou-me a dizer que havia um compromisso incontornável: vetavam a pequenina infidelidade contratual que seria esse livro.

Voltámos a ver-nos numa festa de aniversário do João Bénard e era com o João, que fora director dele no antiquíssimo O Tempo e o Modo, que Vasco Pulido Valente adoçava, sorria, ria e ganhava bons modos de menino ao pé do pai. Pelos olhos de João Bénard, olhos de pai ou irmão mais velho, aprendi a ver com encanto fraternal, sempre deliciosamente justificadas, as tropelias, maldades ou judiarias a que política e irresistivelmente Vasco Pulido Valente se entregava. Os céus que se preparem: livre da lei da morte, o que lá em cima o ateu Vasco Pulido Valente fará às saias de Deus e às asas dos anjos não há de ser flor que se cheire. Bem haja, Vasco Pulido Valente.

 

2 thoughts on “Vasco Pulido Valente”

  1. Obrigada por este artigo, suponho que apesar de cáustico e insubmisso, Vasco Pulido Valente gosta dele. Eu apendi a sua importância para a cinemateca, facto que desconhecia. É mais um louro a acrescentar. Como já alguém disse, o Vasco vai fazer-nos falta.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.